11/03/2009

em memória ao Paulo Peltier

UM OLHAR MÁGICO


(auto retrato)

Conheci o Paulo Peltier em 1981 na escola de fotografia Imagem Ação em São Paulo. Com ele estava o Cássio Vasconcellos e de imediato nós três nos tornamos amigos inseparáveis por um bom tempo; unidos pela paixão comum: a fotografia. Criamos um grupo, Olho Mágico, fotografamos a periferia de São Paulo, as favelas, as ruas do centro, os jardins, a noite, o dia, o canto esquecido, tudo era infinito e possível para nós. Tudo era paisagem útil. Sábado passado recebi um email do Cássio me informado da morte prematura de Paulo na madrugada de sábado. Fica aqui a minha homenagem a este amigo, companheiro, irmão, colega; pessoa tão incrível e criativa que tive a feliz oportunidade de conhecer nos primeiros anos da minha juventude. As fotos aqui postadas são todas de sua autoria. O poema eu escrevi por estes dias em sua memória.


(centro de SP)


ESPELHO
(paul constantinides)



O fotografo da cidade de São Paulo
Fotografou a cidade e disse
Que cada foto era um fragmento
De algo fragmentado também



E muito maior


Ele falava que a cidade
Nao passava de uma coletânea
De fragmentos que surfavam
Espalhados pelo vento



Na vertigem tortuosa
Do espaço e do tempo


E o fotografo
Supremacia do olhar
Sobre a máquina
Olhou os pés, as ranhuras e os azulejos



Os estreitos becos



Derramou seu reflexo
Sobre um espellho breu
E transformou a sua imagem
Num fragmento que se perdeu


Na vertigem tortuosa
Do espaço e do tempo


Dedicado ao Paulo Peltier



(eu, paulo e cassio, anos 80)

3 comentários:

monica ramalho disse...

bonito, paul. que o paulo encontre outros fragmentos fotografáveis onde estiver. beijo.

Chico Peltier disse...

Caro Paul,
Muito obrigado pela linda homenagem.
Minha mãe também acabou de ver o seu blog e ficou muito feliz. ela pede pra te mandar um grande abraço e te agradece muito a gentileza.
Um grande abraço pra vc!
Chico Peltier
(irmão do Paulo)

Anônimo disse...

Estudei com o Paulo Peltier no Mackenzie entre 1978 e 1981, mais provavelmente em 1979/80. Saudades de seu belo sorriso e otimismo. Onde estiver sempre me lembrarei.