23/07/2010

Saudosa Bolachas (13/1973)

no mar da tranqüilidade

em 73 o poeta Vinicius de Moraes (1913-1980) com seu fiel escudeiro, o violinista e compositor Toquinho davam prosseguimento a intensa fase criativa e produtiva, que viviam no inicio dos anos 70. Neste ano foram três discos, três belos momentos em distintas produções revestidas pelo sabor dos mares da tranqüilidade e poesia de Vinicius e Toquinho, com belas contribuições das vozes de Clara Nunes (1943-1983), Marlene, Nora Ney (1922-2003) e num dos álbuns deste período, a porta abre-se ao ator, dramaturgo, poeta e letrista Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006).

Vinicius de Moraes, Toquinho e Clara Nunes “POETA, MOÇA E VIOLĀO”(73)
De um bem sucedido show realizado no Teatro Castro Alves , Salvador, Bahia, durante o verão de 73; originou-se este cultuado album triplo que traz em forma de musica e poemas declamados, a celebração da vida através dos poemas de Vinicius em composições novas e antigas com seu parceiro Toquinho e outros.
A beleza luminosa da voz grave de Clara Nunes, no universo destas melodias, dá um tom morno e aprazível. O violão de Toquinho condensa a beleza da poetica viniciana, e as declamações de Vinicius de Moraes vivendo a magnitude de sua existencia, no periodo reflexivo e zen.
Momento único e memorável dos anos 70.
Esculte algumas destas pérolas.

Lamento (Pixinguinha / Vinicius de Moraes)


Regra Três (Toquinho / Vinicius de Moraes)


Pátria Minha (Vinicius de Moraes) Poema



Vinicius de Moraes, Toquinho e outros.
Trilha Sonora da Novela
“O BEM AMADO”(1973)

Em 73 a TV Globo lançava a primeira novela produzida a cores, de fato, um evento na história da TV Brasileira.
A trilha sonora, como em ocasião passada, foi entregue a Toquinho e Vinicius que compuseram e reintroduziram outras de suas composições.
Das onze canções a dupla interpreta quatro as outras ficam a cargo de Maria Creuza, Nora Ney , Coral Som Livre e Orquestra Som Livre. Esta iniciativa que a TV usava neste período, contratando um compositor ou dupla para fazer a trilha sonora da novela se assimila ao que normalmente fazia o cinema.

O resultado musical foi impecável.

"Meu Pai Oxalá" (Toquinho e Vinicius)

"Quem És?”(Toquinho e Vinicius)

"No Colo da Serra" (Toquinho e Vinicius)




TOQUINHO, GUARNIERI E MARLENE
“BOTEQUIM”(1973)


A partir de uma peça teatral de Gianfrancesco Guarnieri nasce a parceria entre ele e Toquinho que juntos fizeram a trilha da peça teatral.Para cantar convidaram a cantora paulista Marlene, destacada cantora dos anos 40;]/50 que ao lado de Emilinha foram as Rainhas do Rádio.
Este disco traz a cadencia de sambas paulistas, traduzido de forma purista por Toquinho nos versos saborosos de Guarnieri e com a intensidade vocal de Marlene.
Um belo momento na mesa de um bar.



Quem sabe mais (Gianfrancesco Guarnieri, Toquinho)


Esperando por você (Gianfrancesco Guarnieri, Toquinho)


Meu tempo e Castro Alves (Gianfrancesco Guarnieri, Toquinho)





4 comentários:

Érico Cordeiro disse...

Vinícius sempre é bem-vindo.
Acho que a parceria com Toquinho é a menos instigante de sua carreira (as outras, com Tom, Carlinhos Lyra e Baden nos deram gemas mais belas), mas ainda assim é uma produção respeitabilíssima. Essa trilha d'O Bem Amado é uma prova disso.
Não conheço esse álbum da Marlene Toquinho e Guarnieri - mais uma pérola do tesouro do Capitão Paul.
Valeu!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

erico. realmente as caracteristicas das diversas parcerias do Vinicius são um tanto diferentes, aprecio todas elas, alias tem as com o Baden Powell...pequena mas bela produçao tbm...
eh eh
eu capitão vc ai almirante..kkk
abs
paul

Suzana disse...

Muito boa a seleção que você escolheu, pegou peças "não óbvias". Quanto a Vinícuis sem comentários, pontuou cada momento de minha vida... É perfeito, simplesmente "o" poeta!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

obrigado pelo comentaro Suzana,
Vinicius foi tudo de bom mesmo.
abs
paul