13/09/2010

Choro Porque Choro (2

CHIQUINHA GONZAGA
A MULHER, O PIANO E O CHORO

Francisca Edwiges Neves Gonzaga, a Chiquinha Gonzaga (Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1847 — Rio de Janeiro, 28 de fevereiro de 1935) foi pianista, compositora e regente; filha mais velha da união de um influente militar branco com uma negra. Durante sua infância foi incentivada a aprender piano, mas devido ao seu ímpeto criativo e personalidade forte e liberal, não se adaptava aos costumes conservadores de sua família e da sociedade da qual sua familia fazia parte. Aos 16 anos de idade foi obrigada a se casar um rico empresário naval; mas poucos anos depois e apos ter dois filhos, ela rompeu seu casamento o que muito lhe custou. Foi renegada por sua família ela passou a viver longe de seus filhos, vivendo só e dando aulas de piano e inevitavelmente compondo.
Foi este impeto, aliado a seu talento que a levou ao circulo de músicos que naquele período viviam imersos na fermentação da mistura de ritmos africanos e europeus. Se tornou amiga do flautista e compositor Joaquim Antonio Callado que influenciou seu trabalho.
Durante sua vida Chiquinha depois de um período de dificuldades e obscuridade experimentou o sucesso com suas musicas. Em 1887 ela pubicou uma de suas primeiras composições, “Atraente”, considerada uma polca, tem fundamentos explícitos do Choro e traz o frescor musical que determinou o rumo da musical urbana do Brasil, naquele momento.
O trabalho Chiquinha apesar de pendular entre ritmos que facilmente podem nos fazer entender como valsa, polca ou lundum; tem um papel condutor de um momento crucial da musica brasileira. No piano Chiquinha, com seu gênio criativo, deu vida ao choro.
Dona de uma vasta obra que inclue trilhas para peças de teatro, viagens para Portugal, onde chegou a compor e trabalhar.
“Abre Alas” marcha de Chiquinha feita em 1900, é considerada uma das primeiras marchas carnavalescas da história da musica, demonstra o quanto esta compositora era revolucionaria, criativa e conectada com os movimentos populares de musica de seu tempo.
Considere-se ainda o fato de Chiquinha ter sido uma mulher liberal num tempo em que isto era incomum, considerado vulgar e desprezível por muitas pessoas. Com seu talento, Chiquinha criou um impacto importante na musica brasileira e colaborou para que muitas barreiras de preconceitos culturais caíssem.
O Choro é resultado disto também.

“Atraente” (Chiquinha Gonzaga) , Pixinguinha e Benedito Lacerda (1950)


“Angá”(Chiquinha Gonzaga) , Antonio Adolfo (Chiquinha com Jazz/1997)


“Sultana”(Chiquinha Gonzaga) Choro de Antigamente (1980)

3 comentários:

pituco disse...

grande paul,

grande resgate, grande música...oh,abre alas que eu quero passar...é um dos meus motes frequentes, atualmente...rsrsrs

é isso aí,
abaçsonoros

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

eh sem duvida pituco.
amigo
uma duvida
eh ou náo o Emilio Santiago nauqela fotod o seu blog?
kkk
abs
paul

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

eh sem duvida pituco.
amigo
uma duvida
eh ou náo o Emilio Santiago nauqela fotod o seu blog?
kkk
abs
paul