09/04/2011

TENÓRIO JR.

Tenório Jr.
35 ANOS DESAPARECIDO

Hoje, 09 de abril de 2011, aproximadamente ha 35 anos ocorreu o desaparecimento do pianista Tenório Jr. , expoente da era do Samba Jazz. Ele desapareceu nas garras da ditatura militar da Argentina no dia 18 de março de 1976, durante uma excursão pelo país com Vinicius de Moraes e Toquinho.

O desaparecimento do artista plástico chinês Ai Weiwei no ínicio desta semana, detido num aeroporto da China pela polícia da ditadura local, me fez repensar ao publicar uma singela nota em lembrança ao Tenório Jr que o mundo ainda tem muito que fazer para acabar com este tipo de violência política.

Esta assim no site do grupo Tortura Nunca Mais:Desaparecido desde 1976, quando tinha 35 anos.Músico que excursionava por Buenos Aires, acompanhando o violonista Toquinho e o poeta Vinícius de Moraes. Tenórinho, como era conhecido, foi detido na noite de 18 de março de 1976, logo após ter deixado o Hotel Normandie para procurar uma farmácia em busca de medicamentos. Foi tragado pela rede clandestina da repressão oficial sem deixar pistas.Vinícius de Moraes, Toquinho e mais alguns amigos, como o poeta Ferreira Gullar (exilado em Buenos Aires) mobilizaram-se inutilmente. Procuraram em hospitais e delegacias e buscaram ajuda na embaixada brasileira. O governo brasileiro, em 1976, informou que nada sabia e o Itamaraty anunciou que “envidava esforços” para localizar o pianista desaparecido.

Leia mais a respeito no site http://www.torturanuncamais-rj.org.br/MDdetalhes.asp?CodMortosDesaparecidos=344&Pesq=Ten%F3rio%20Jr.


"Samadhi"(Tenorio Jr.) , Tenorio Jr. , album "Embalo",1964


ODE AO PIANISTA MORTO HÁ 35 ANOS NA ARGENTINA

(paul constantinides)


Não mais tocarão as ruas

Os teclados mortos na noite escura

Os dedos executados numa tortura

Os óculos que através de ranhuras

Sobrevoava preciosas partituras


Não mais tocarás ditadura

Nesta estrada onde o sol perdura

Não haverá trégua, nem depois da luta

Teu véu medonho não se enterra

Ainda procuras luz em sua penumbra


Vigiai os mais espertos,

Atentai os satisfeitos

Vivemos no mundo dos defeitos

O ontem, o pior, não está desfeito

Não te esqueças dos que morreram


Semeai a tolerância

Mas tenha debaixo de tua empresa

O olhar ferino da vigilância

6 comentários:

pituco disse...

grande paul,

bonita homenagem e lindo poema...o som é piramidal...

aliás, shamadhi é o último degrau do raja yoga(asthanga)...o estágio de meditação transcendental...a mente livre dos pensamentos...

abraçsonoros

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

pituco, amigo virtual e real. sempre presente aqui neste canto da web. muito obrigado pelo comentário, estimulo e abçs.
cara, q bom q o sol está raiando por ai!
aqui chovendo granizo por 40 minutos quebrando telhados e janelas.
já passou.
abs
musamusicais.
paul

ps. por favor, continue gravando suas perolas e reuna num CD, numa plataforma q vc achar mais plausível para q a gente possa ter tbm e escutar qdo quizer.

Nicko disse...

Sem dúvida um sonoro chá de camomila!

Obrigado e uma ótima semana!

Abrasss

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

gracias Nicko
ótima semana pra vc tbm.
abs
paul

Anônimo disse...

Qeurido Paul
Na epoca horripilante da ditadura no Brasil, Argentina, Chile e demais paises da America do Sul eu tinha 18 anos e lembro-me muitissimo bem dessas e outras atrocidades cometidas pelos ditadores. Quantos talentos foram mortos torturados etc pelos militares!!!!!!!!!!!!!!!! Foi muito triste.
abracao
Renato

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

querido Renato, realmente foi um periodo lamentável mesmo.
abs
paul