16/01/2009

PRÁ NÃO DIZER QUE EU NÃO FALEI DE AMBIENTALISMO

(este post é dedicado para Antonio Oviedo, Eleonora Gorektin da cidade de Campos, RJ e também para Cristiane Fetter do blog To Doida)

RIO AINDA


O rio Paraiba do Sul nasce em Paraibuna (SP), atravessa a região do Vale do Paraiba do Sul (SP, MG e RJ) e desemboca na bacia de Atafona, Campos de Goytacazes, RJ; formando um lindo Delta. Ele possui 1.150km de extensão e bacia que totaliza 55.400 km2.

Sua bacia abrange cerca de 45 cidades dos três estados, destacam-se em SP: Guararema, Jacareí, São José dos Campos, Taubaté, Lorena; em Minas : Juiz de Fora e Leopoldina; e no estado do Rio: Barra Mansa, Nova Fibrurgo, Petrópolis, Resende e Volta Redonda.

O Paraiba do Sul abastece e recolhe detritos destas cidades; oferece àreas para agricultura e exploração de areia; peixe; tem importante papel na formação da paisagem e no ambiente da região cercada em sua grande parte pela Serra do Mar e pela Serra da Mantiqueira.

O rio Paraiba do Sul, infelizmente, hoje já é um rio morto em vários trechos e enfrenta graves problemas. como :
1. esgôto, lixo e detritos depositados em sua calha,
2. alteração e extermínio de ribeirões que desaguam nele;
3. o despejo de inseticidas agricolas e a exploração desordenada de areia destruindo a mata das margens que o protege.
4. O exterminio do ciclo de vida que existe no rio e em sua volta (ribeirões, arvores, plantas, aves, mamiferos, insetos, anfibios e peixes)

Estes problemas comprometem todo o sistema hidrico da região provocando cheias e deslizamentos em áreas urbanas e o encarecimento do tratamento da agua para consumo humano .
O excesso de depósito de sedimentos na calha do Rio Paraiba já esta provocando a destruição do Delta de Atafona onde o rio desagua no mar. Muitos pescadores que vivem na região tiveram que se mudar de lá.

O Rio Paraiba do Sul faz parte da minha vida, já vivi, por diferentes momentos, em 04 cidades do Vale do Paraíba do Sul (Cruzeiro, Lorena, Guaratinguetá e Jacareí). Sempre admirei e amei o rio Paraiba. Em 96 eu e meu amigo/parceiro Antonio Oviedo fizemos uma canção sobre este amor : “Rio Ainda”; que postei abaixo com slide show de fotos e mapas sobre o rio.
As fotos foram obtidas atraves do Google Images e não houve como obter o nome dos autores das imagens.
Se alguem souber, por gentileza, coloque nos comentários.

video

Um comentário:

Cristiane A. Fetter disse...

Isso é muito triste, ainda mais pq existe solução, é só a população querer e pressionar o governo para que ele inicie o processo de reeducação e recuperação nas nascentes e rios.
No outro dia eu vi uma reportagem falando sobre a lagoa de Araruama que estava assoreada, e com mortandade de peixes, construções irregulares e construções e esgotos ilegais.
Pois então, o povo se juntou e hoje ela está sendo recuperada, suas águas já estão voltando a cor natural (translucidas) os peixes desaparecidos já voltaram e os pescadores já notaram a volta de camarões.
Há muito que se fazer ainda, pois não foi em 1 mês que ela foi polúida, então não será em um mês que ela será limpa, mas o importante é a vontade de mudar.
Não faltam recursos, falta é vontade de fazer.
abraços

ps.: obrigada pela dedicatória.