07/04/2009

Saudosas Bolachas (06/1971)

UM VELHO CALÇÃO DE BANHO

Certamente em 1971 não existia o conceito “excesso de exposição”. Vinicius e Toquinho que em 70 celebraram a parceria com um belíssimo disco gravado ao vivo na Argentina; no ano seguinte lançaram 03 discos, para não ficar por menos. Um disco da dupla, outro com Marilia Medalha e outro ao vivo com Maria Bethânia.
Excesso ou não; ficaram os belos registros de novas composições que a dupla criava com tonalidade de sambas sinuosos com letras sensuais, alegóricas ao mar, celebrando o prazer de viver.



Vinicius, Marilia Medalha e Toquinho
COMO DIZIA O POETA” (1971)
Disco gravado em estudio traz nove inéditas da dupla Toquinho/Vinicius, outras duas de Vinicius e Marilia Medalha e “Samba de Gesse” de Vinicius apenas.
Marilia Medalha encontrou-se com Toquinho e Vinicius durante a estada dos dois no fim de 70 no sul da Bahia. Os dois estavam em pleno processo criativo, compondo pérolas como “Tarde em Itapoã”, “Na Tonga da Mironga”, “Samba da Rosa” e “Como Dizia o Poeta”. Imediatamente a jovem cantora de Niterói que já havia cantado no Teatro Opinião em SP, com Edu Lobo e em festivais; entrou na onda dos dois camaradas e fizeram juntos show de imenso sucesso no Teatro Castro Alves, Salvador. Este disco traz as musicas cantadas naquele show.
Registra um momento intenso e criativo da dupla Vinicius e Toquinho que sempre traziam consigo o apoio luxuoso de uma linda voz feminina. Desta vez o calor carioca da voz aveludade de Marilia Medalha.

Escutem desta saudosa bolacha a bela “Tarde em Itapoã” (Vinicius/Toquinho)







Vinicius e Toquinho
Toquinho e Vinicius”(1971)
Este é de fato o primeiro disco autoral da dupla Toquinho e Vinicius.
Produzido em 1970 é lançado em 1971. Este disco, traz belas composições que demonstram a vitalidade criativa da dupla neste periodo. Canções como “Maria Vai Com Outras” , “A Vida Tem Sempre a Razão”, “Testamento”, “O Velho e a Flor”, “Canto de Oxum” e “Morena Flor” são importantes referências da obra da dupla.
Na contracapa do disco, lê-se este bilhete de Toquinho para Vinicius e percebe-se como Toquinho se sentia em relação a este universo que adentrava:
“Vinícius de Moraes, se eu fosse falar de você,o conhecedor do mundo das palavras e do mundo,realmente não teria mundo pra dizer das palavrasque o mundo das palavras...sei lá!O negócio é que eu curto você à bessa, vocêque é meu parceiro, meu irmão e amigo, meu filhoe meu pai, e como se não bastasse, marido deGesse de Moraes, essa baiana que sempre quepode tem pra você um carinho a mais.Pois é Vininha, hoje eu estou aqui em São Pauloescrevendo a contra-capa de nosso novo Lp – no último dia de prazo, é claro – pensando nas horas que essas melodias começaram a nascer de meu violão até você chegar ao fim de suas sempre carinhosas brigas que manteve e mantém com as palavras, das quais é um eterno vencedor. É Vina, não foi mole não. De“Testamento” à “Rosa Desfolhada” foram muitas noites em claro e tardes mergulhadas numescuro tranqüilizador de nosso sono nos proporcionava. É meu velho, êsse disquinho me custou unsbons quilinhos a menos, mas compensou: apesar das intermináveis brigas entre Milton e Shapiro enquanto Briamonte mostrava toda sua criatividade. Com cordas?TchauToquinhoP. S. Sabe o que uma célula disse praoutra? - Cromossomos felizes.”

Escutem “Sei lá...A Vida Tem Sempre Razão” (Vinicius/Toquinho)





Vinícius, Toquinho e Maria Bethania
En La Fusa con Maria Bethânia (1971)
Este disco lançado em 1971, traz o registro ao vivo do show feito em junho de 1970 em que Toquinho, Vinicius e Maria Bethânia fizeram no mesmo palco em Buenos Aires onde anteriormente se apresentaram com Maria Creuza.
Maria Bethânia, cantora baiana, começara sua carreira no teatro Opinião substituindo Nara Leão em 1968. Logo fez sucesso por sua voz tenaz e marcante. Sua interpretação de “Carcará”(João do Vale/José Cândido) deu-lhe notoridade e fez muito sucesso. Foi assim que, no inicio de carreira, a cantora embarcou com o poeta e o trovador para cantar nos palcos argentinos. O registro tecnicamente bem feito traz gravações de sucessos da dupla e também um direcionamento autoral diferenciado diante da presença marcante de Bethânia.


Escutem desta bolacha “É de Manhã” (Caetano Veloso)


2 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal!

bjs
Mariana

Iolanda Aldrei disse...

Como sempre é um abraço maravilhoso chegar a esta casa, por isso há um surpreso em http://janeladamoura.blogspot.com.
Muitas saudades