02/04/2009

SAUDOSAS BOLACHAS _ edição especial

ADORÁVEIS CINQUENTÕES
Nasci em 1959. Portanto este ano, em julho, completarei 50 anos de idade.
Para celebrar este momento da minha vida estou postando eventualmente um disco bom e interessante que tenha sido gravado em 1959.

JOÃO GILBERTO
"Chega de Saudade" (1959)

João Gilberto, em 1945 completou 14 anos de idade e ganhou um violão. Na cidade onde ele nasceu, Juazeiro, Bahia, era comum aos moradores verem aquele rapaz passar horas e horas debaixo de uma imensa árvore num terreno baldio da cidade tocando o seu violão. Dedicação e determinismo são duas coisas que se podem dizer sobre este cantor e violonista. Quando completou 18 anos ele seguiu para Salvador para tentar a vida como “crooner”. Desgosto de sua familia que o sonhava médico.
De Salvador para o Rio foi uma questão de meses e lá ele cantou no Bando da Lua por quase um ano. Ele se desligou da banda por puro desinteresse ao trabalho musical que o Bando desenvolvia sobre a batuta de Aloysio Oliveira. Viveu perambulando pela noite do Rio, até que um dia encontrou algo que lhe chamou bastante a atenção: o piano de Antonio Carlos Jobim.
Jobim lhe mostrou as músicas que estava fazendo e João com seu violão as tocou; mas no intimo algo lhe dizia que aquela música deveria ser tocada de outra forma.
João voltou a Juazeiro e literalmente se trancou num sitio com seu violão. O dia que saiu de lá levava um sorriso nos lábios. Havia descoberto a tal batida da Bossa Nova.
De volta ao Rio, em 1958, gravou dois compactos simples (Chega de Saudade/Bim Bom e Desafinado/Ho-ba-lô-lá-lá) em 78rpm (acreditem) e apresenta sua batida acompanhando Elizete Cardoso no disco “Canção do Amor de Mais” somente com musicas de Tom Jobim e Vinicius de Moraes. O mundo começava a desconfiar que algo estava no ar.
Em 1959 João Gilberto reune as gravações dos compactos e grava sambas antigos no estilo da batida que desenvolvera e lança o disco “Chega de Saudade”. O marco inicial do grande sucesso popular da Bossa Nova.
O mundo descobria e se rendia a Bossa Nova no ano e na graça de 1959. Há 50 anos atrás.

Escute “Desafinado” (Tom Jobim)













Escute “Chega de Saudade” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes)











3 comentários:

Anônimo disse...

Liiiiiiiiindo!!
Chega de saudade a realidade.....

bjs
Andrea

Cristiane A. Fetter disse...

Eu canto muito essa música para o Rio de Janeiro.
Chega de Saudade, a realidade é que sem "ele" não posso mais...

bjks

PAUL CONSTANTINIDES disse...

cris
nohs q vivemos fora do Brasil, sempre cantamos esta musica.
vivemos no bloco da saudade.
abs
paul