28/04/2009

Saudosas Bolachas (09/1971)

BRASIL COM Z.


Desde a Bossa Nova no inicio dos aos 60, o musico brasileiro passa a encontrar no exterior maior receptividade , notadamente o musico instrumental.
Em 71 podemos ver este prestígio duradouro convertido em discos de Baden Powell, Jobim , Airto Moreira e Bola Sete. Discos gravados no exterior levando, por um lado, a estandartização da musica brasileira no subconsciente da cultura ocidental, por outro lado introduzindo uma novidade e por fim se mesclando com o jazz.


AIRTO MOREIRA
SEEDS OF THE GROUND (1971)
Airto Moreira nasceu em Itaiópolis, Santa Catarina em 1941. Passou a infância em Curitiba onde aos 13 anos de idade já tomava parte de um programa de rádio tocando um tambor e cantando. Aos 16 anos mudou-se para São Paulo onde passa a tocar bateria no Sambalanço Trio (com Cesar Camargo Mariano e Humberto Claiber) de 62 a 65 e depois com o Quarteto Novo ( Teo Barros, Heraldo do Monte e Hermeto Paschoal ) até 69. Neste periodo casa-se com a cantora Flora Purim e seguem para California a convite de uma gravadora onde Airto participa da gravação do disco de Miles Davis “Bitches Brew”. Com este trabalho Airto ganha projeção e notoridade do meio artistico local, além do convite pessoal de Miles para tocar em sua banda. Durante o tempo em que toca na banda de Miles Davis, três anos, Airto grava dois discos. O segundo “Seeds of the Ground” (1971) foi gravado em Los Angeles e traz o tempero da terra brasilis, voos jazisticos, a vitalidade musical de Hermeto Paschoal , o regionalismo de Sivuca, a personalidade de Dom Um Romão, Severino Carvalho, Ron Carter e a voz afinada de Flora Purim.

Escute “Andei”(Hermeto Paschoal)
Airto Moreira - Andei


BADEN POWELL
É DE LEI (1971) IMAGES ON GUITAR (1971) SOLITUDE IN GUITAR (1971)
Baden Powell de Aquino nasceu na cidade de Varre-Sai, RJ em 1937 e com poucos mêses de vida mudou-se para o Rio de Janeiro passando a viver no bairro do Sao Cristóvão. Lá, desde pequeno apegou-se a um violão e teve suas primeiras aulas com seu avô. Depois foi estudar com o professor Meira da Escola de Violão Clássico Tarregá. Aos 14 anos de idade concluira o curso se destacando por sua habiliade e virtuosismo.
Virtuosismo, aliás, é qualidade inerente a musicalidade de Baden Powell que deu a musica brasileira um patamar superior que até o seu surgimento poucas vezes atingira.
A trajetória profissional de Baden começou nas noites cariocas do fim dos anos 50; com a orquestra de Ed Linconl, com Elizeth Cardoso e com a parceira com Billy Blanco. Tamanho talento, não foi dificil seu violão se encontrar com a Bossa Nova em 1960; e com Vinicius realizar os afro-sambas “Samba da Benção” , “Canto de Osanha”; e logo, fazer sucesso no exterior.
Em 71 ele lança três discos: “É de Lei” gravado no Brasil, “Images on Guitar” e “Solitude on Guitar” gravados na Alemanha.


Escute “É de Lei” (Baden Powell/Paulo Cesar Pinheiro)
Baden Powell - E de lei
Escute “Introdução ao Poema dos Olhos da Amada" (Baden Powell/Vinicius de Moraes/Paulo Soledade)
Baden Powell - Introducao ao Poema


BOLA SETE
SHEBABA (1971)
Bola Sete, carioca(1923-1986), tornou-se violinista na juventude e aos 18 anos de idade tocava nas rádios do Rio e São Paulo. Nos anos 50 formou na Radio Nacional o Bola Sete e Seu Conjunto, tendo Dolores Duran como cantora. Com esta banda excursionou, com sucesso, pela America Latina e Estados Unidos, onde em 59 decide se fixar.
Bola Sete foi um dos pioneiros da aventura musical brasileira nos Estados Unidos. La ele continuou a construiur sua carreira e gravou mais de 17 discos, participando de outros como um de Dizzie Gillepsie e do célebre concerto da Bossa Nova no Carnigie Hall, NY em 62. Em 1971 Bola Sete gravou “Shebaba”. Um disco com forte influência do jazz mas que não perde distância da musicalidade brasileira. Tem a guitarra compassada e marcante de Bola Sete e o chamado “brazilian beat”.


Escute “Shebaba” (Bola Sete)
Bola Sete - Shebaba


FRANK SINATRA E ANTONIO CARLOS JOBIM
SINATRA & COMPANY (1971)
Antonio Carlos Jobim, carioca (1927-1994) foi um grande expoente da musica brasileira e um dos criadores da Bossa Nova. Em 1971 ele chegava a Nova York para gravar com Frank Sinatra o segundo disco deste cantor norte americano dedicado a Bossa Nova. O primeiro gravado em 1967 tambem trazia sua participação. O impacto de um cantor do quilate de Frank Sinatra gravar a musica de Jobim é particularmente intenso e não é facil comparar com algo atual. Talvez seria algo como se Madonna, hoje, resolvesse gravar um disco somente com músicas de Roberto Carlos. O disco é bem feito, nas proporções do universo musical de Frank Sinatra e dos arranjos bonitos e suaves que Jobim faz garantindo assim a originalidade da musica tocada em questão: a bossa com sotaque norte americano.
Frank Sinatra & Company” é um registro da popularidade, prestigio e alcance que a musica brasileira angariou pelo mundo afora no ano inquieto e iresoluto de 1971.


Escute o dueto américo-brasileiro de Sinatra e Jobim em “Drinking Water”/”Agua de Beber” (Tom Jobim)
Jobim/Sinatra - Agua de Beber/Drinking Water

3 comentários:

monica ramalho disse...

bem maneiro, paul. ouvi 'é de lei' com especial carinho: hoje, paulo césar pinheiro faz 60 anos. beijos!

PAUL CONSTANTINIDES disse...

q legal monica.
abs pro paulo cesar pinheiro.
grande compositor.

abs
bjs
paul

Anônimo disse...

Paul,
muito obrigado por me enviar seu blog...adorei

PARABÉNS


Carlos