16/11/2009

Saudosas Bolachas (18/1972)

Egberto Gismonti
“Água e Vinho” (1972)


Egberto Gismonti ( Carmo, RJ, 1947) compositor, musico e arranjador; em 1972 vivia entre as influências do Brazilian Jazz , da Bossa Nova e de seu continuo interesse pelo experimentalismo musical que futuramente consolidaria sua carreira musical.
Egberto iniciou sua carreira participando com a bossanovista canção “Sonho” no Festival da Globo em 1968, quando arrancou elogios da critica e do publico. Desde então iniciou seus estudos de musica dodecafônica na França; e em 1972 encontrava-se num periodo de transição entre a musica cantada e a musica instrumental.
“Água e Vinho”, seu quarto disco, ė um retrato deste periodo e traz registros interessantes do universo de Egberto Gismonti. A musicalidade original, horizontal e vertente já estão presentes de forma incipiente, porėm, dando o colorido necessário para tornar esta obra atraente e importante.

“Ano Zero”(Egberto Gismonti)

” Água e Vinho” (Egberto Gismonti)


Luiz Eça e Quinteto Vila Lobos
“Vanguarda” (1972)


Luiz Eça (Rio de Janeiro 1936-1992) pianista, compositor e arranjador ligado a Bossa Nova e que iniciou sua carreira na noite carioca dos anos 50 com um trio formado por ele, Ed Lincoln e Paulo Ney; e no qual posteriormente passariam João Donato, Milton Banana e Claudette Soares.
Em 1962, ao piano com Bebeto Castilho (flauta, saxophone e baixo) e Helcio Milito (bacteria) formou o Tamba Trio um grupo marcante e carreira fulminante. Foi o primeiro trio a realizar os famosos pocket-shows no Beco das Garrafas.
Luiz Eça fez arranjos para Maysa, Nara Leão, Carlos Lyra, Chico Buarque, Elis Regina, Nana Caymmi entre outros. No inicio dos anos 70 formou o conjunto “A Sagrada Familia” que durou apenas um ano e onde, entre outros, a cantor era Joyce Moreno.
A partir de um encontro com o Quinteto Villa-Lobos, um conjunto de musica de câmara de sopros, fundado em 1962; tento como membros Celso Woltzenlogel (flauta), Paolo Nardi (oboė), Wilfried Berk (clarinet), Carlos Gomes (trompa) e Airton Barbosa (fagote) nasceu o projeto do album “Vanguarda” onde o Quinteto junto com o piano de Eça tocam uma sėrie de musicas populares.
“Vanguarda” ė um registro interessante e inusitado da criatividade de Eça aliada ao requinte clássico do Quinteto Vila-Lobos.

“Construção”(Chico Buarque de Holanda)

”Viola Enluarada”(Marcos e Paulo Sergio Valle)



Airto Moreira
“Free” (1972)

“Fingers” (1972)


Airto Moreira (1941, Itaiopolis, Paraná, Brasil,) notável percurssionista da era do Brazilian Jazz que entre nos anos 60 nasceu no encalço da Bossa Nova, tomou corpo nos bares e boates do Rio e São Paulo, ganhou força, , coração e coragem; e pousou no coração da Amėrica jazzistica dos anos 70.
A trajetoria de Airto começou no Rio de Janeiro em 1964 quando tocou e participou de vários grupos e gravações de discos e rapidamente ganhou o respeito da classe musical. Ligou-se a cantora Flora Purim neste periodo; e em 1968 os dois mudam-se para os Estados Unidos. Nos Estados Unidos Airto passou a trabalhar com Miles Davis; Wayne Shorter, Chick Corea, Dave Holland entre outros.
Extremamente ativo, neste periodo, e desfrutando de grande prestigio no mundo jazzistico norte-americano; em 1972 ele lança dois albuns. Um, “Finger” pela Vivid Sound, com Flora Purim e musicos ligados ao seu circulo criativo; como David Amaro, Hugo Fattoruso, Jorge Fattoruso e Ringo Thielmann.
O outro album “Free” , lançado e produzido pela CBS; traz a musica de Airto acompanhado de feras da gravadora como George Benson, Ron Carter, Keith Jarret, Stanley Clark, Chick Correa, Nelson Ayers, entre outros e a voz de Flora Purim.
Era o Jazz Brasileiro ganhando forma, corpo e cor em terras entrangeiras.

Fingers
“San Francisco River” (Airto Moreira)

“Paraná” (Airto Moreira)
Free
“Jequiė”(Airto Moreira)

“Lucky Southern” (Airto Moreira)





Moacir Santos
"Maestro” (1972)


Moacir Santos (Pernambuco, 1926 — California, 2006) foi um arranjador, compositor, maestro e multi-instrumentista. Iniciou sua carreira no sertão pernambucano como integrante de bandas. Na década de 1940 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde foi contratado pela Radio Nacional.
Durante dois anos, morou em São Paulo, onde regeu a orquestra da TV Record, voltando logo em seguida para o Rio de Janeiro.
Em 1967 mudou-se para Los Angeles convidado para a estréia mundial do filme "Amor no Pacífico", do qual havia sido compositor. Estabeleceu moradia fixa na região de Pasadena, na California, onde viveu compondo trilhas para o cinema dando aulas de música. Faleceu em 18 de Julho de 2006, uma semana antes de completar 80 anos.
Conhecido por seu virtuosismo, Moacir dominava o saxophone, clarinet, trompete, banjo, violão e bacteria
É tido como um dos maiores mestres da renovação harmônica da música popular brasileira. Foi parceiro de Vinicius de Moraes que o homenageou em “Samba da Bênção": "Moacir Santos / tu que não és um só, és tantos / como este meu Brasil de todos os santos."
Em 1972, Milton Santos gravou o seu primeiro disco nos Estados Unidos com a colaboração do pianista Horace Silver
"Maestro” traz belas composições de sua autoria; desenvolvidas com a liberdade criativa consquistada no mercado em que sua musica mais foi aceita.

“Nanã” (Moarcir Santos)

“Mother Iracema”(Moacir Santos)



Walter Wanderley
”Hits from Brazil” (1972)

Walter Wanderley (Recife,1932-San Francisco,1986) foi um destacado organista da musica brasileira que nos anos 50 iluminou os sambas de Isaura Garcia (sua esposa) e despontou na noite paulista, em programas de rádio e Tv. Em 1966 mudou-se para os Estados Unidos e não voltaria mais ao Brasil.
Nos Estados Unidos chegou a vender mais de um milhão de cópias com a sua versão de Samba de Verão (Summer Samba) de Marcos e Paulo Sergio Valle.
Nos Estados Unidos lançou 18 albuns. Em 1972 ele lançou; “Brazilian Hits”, um album trazendo uma oportuna e interessante coletânea de Bossa Novas e Jazz-sambas dentro do seu estilo e arranjos interessantes harmonizado ao som de seu órgão.

“Samba de Verão” (Marcos e Paulo Sergio Valle)

“Berimbau” (Baden Powell/Vinicius de Moraes)

4 comentários:

Anônimo disse...

Paul
Adorei todos os discos que vc postou.
Parabens pelo resgate.
Esta super valendo.

Cordialmente
Valdir

pituco disse...

grande paul,

grande resgate mesmo...destacadamente esse do maestro moacyr santos.

valeô a dica

abraçsons pacíficos

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

valdir e pituco
obrigado
arikato
pelos comentahrios
estao sempre benvindos.

abs
muza musicais
paul

Érico Cordeiro disse...

Paul,
Com um pouquinho de atraso, estou aqui no Muza, me deliciando com os posts.
Nossa, mas é cada disco melhor e mais interessante que o outro. O do Gismonti é fabuloso, acho que é um dos melhores da carreira dele.
Parabéns, grande arqueólogo das bolachas perdidas.