02/12/2009

dois poetas do meu tempo

Cazuza e Renato Russo foram cantores/compositores da minha geração. Como eu, nascidos entre 1958-1960, defrontaram com a novidade chamada AIDS quando estavam saindo da adolescencia.
Não foi há tanto tempo assim.
Cazuza e Renato Russo foram dois poetas que souberam de uma forma musical refletir o momento que viveram.

Cazuza mais exposto a mundanidade, extremamente consciente, critico e auto critico; soube aliar em suas letras a poética romântica ao escracho de forma interessante. Há nele certas nuâncias de Noel Rosa. De carater libertário transitou entre o rock e a MPB com leveza.
Deixou-nas belas canções, alguns hinos que ainda hoje alguns cinquentões como eu cantarolam. Quem nunca adorou um amor inventado? Quem nunca quiz que o dia nascesse feliz? Quem nunca implorou para o Brasil mostrar a sua cara?


Cazuza (1958-1990)


“Codinome Beija Flor” (Cazuza/Ezequiel Neves/Reinaldo Airas) canta Rodrigo Santos, do album “Tributo a Cazuza”(2009)

“Vida Louca, Louca Vida” (Lobao/Ricardo Vilhena) canta Leoni, do album “Tributo a Cazuza”(2009)





Renato Russo foi um letrista que conseguiu articular seu lirismo filosófico na musica destilada e orgânica que sua banda, Legião Urbana, fazia.
Renato Russo é o cara que iluminava o palco quando cantava :”Ė preciso amar as pessoas/ como se não houvesse o amanhã…
Ligado ao rock, suas músicas mesclavam rebeldia, lirismo, prosas urbanas e românticas.
Músicas como “Eduardo e Monica” e “Faroeste Cabloco” são exemplos de como Renato introduziu um formato diferenciado de narrativa e de discurso lirico na musica brasileira.
Suas canções fizeram grande sucesso e como o nome de sua banda, trazia atras de si sempre uma grande legião de fãs.



Renato Russo (1960-1996)


“Pais e Filhos” (Renato Russo/Dado Vila Lobos/Marcelo Bonfá) canta Célia Porto, do album “Célia canta Legião”(1996)


“Tempo Perdido” (Renato Russo), canta Célia Porto, do album “Célia canta Legião”(1996)



2 comentários:

pituco disse...

paul,

confesso que, apesar de curtir algumas canções e bandas, não sou lá muito roqueiro...as aparências enganam...talvez a índole roqueira transgressora, mas não a música...

anos oitentistas, ouvia a galera do arrigo...frank zappa, hermeto pascoal, milton, strawinsky e muito coltrane e miles davis...nada contra a contracultura roqueira...há o kiko zambianchi um tremendo letrista...o próprio lobão...

mas, depois que se ouve o maestro jobim, tudo fica empoeirando na prateleira...rsrs

fundamental é mesmo o amor...é impossível ser feliz sozinho!

abraçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

sem duvidas grande pituco
eu fui tanto mais ecletico q vc, sem duvida curti tudo istoq vc citou e ainda muito mais...o certoe eh q qdo tinha meus 12 anos de idade em 72 o rock caiu como luva no meu apetite musical, led zep, deep purple, pink floyd entraram na minha discoteca...anyways...vejo muito importancia no trabalho do Cazuza e do Renato Russo entre outros desta legiao dos rock brasileiro dos anos 80.....ficou a lembranza por causa deste lance da AIDS...
no dia 1 de dezembro...
abs
musa musicais
obrigado pelo comentahrio
paul