10/01/2010

COMÉDIA SEM FIM

UM TRIBUTO A DALVA DE OLIVEIRA

Por ocasião do post sobre Dalva de Oliveira, o cantor e compositor Eduardo Montagnari me enviou email com cópia de texto inserido no encarte de seu recém-lançado CD “Dajabuticaba” me lembrando do dia em que cantou com Dalva de Oliveira.
Trata-se de um lírico relato de um dia em que o cantor e compositor assistiu a um show de Dalva de Oliveira, no Teatro Vereda, SP, em 1971.

Publico aqui parte deste texto e também sua canção “Comédia Sem Fim” (do CD “Dajabuticaba”) que Eduardo compôs em homenagem a Dalva. Vale notar que o título da canção “Comédia sem fim” é uma inversão do título da canção “Fim de comédia” que Ataulfo Alves fez para Dalva.

“Comédia Sem Fim” (Eduardo Montagnari)



“O dia em que cantei com dalva de oliveira”


entram os músicos...
apagam-se as luzes e o palco de hélio oiticica que gal costa deixa sangrar vai se iluminando aos poucos.

à capela, da coxia, a comovente ave maria de vicente paiva e jaime redondo é a primeira conta do seu lindo rosário de sambas-canção, sambas, boleros, tangos e baiões que a estrela começa a desfiar. emocionado deixo-me levar por aquelas mãos que envolvem o microfone que envolve o teatro com o cristal da sua voz tão querida.

- um tango dalva! canta um tango!
- “lencinho branco”,.. gira, gira...

o pedido me devolveu daquele sonho!

explicando não ter ensaiado nenhum tango, a cantora rendeu-se por fim aos apelos e acordes de lencinho querido. esquecendo-se porém da letra do canção a cantora passou a improvisar com o seu inesquecível ‘lalarilara’.

sem pudor e sem pensar eu me vi cantando-lhe os versos que eu também tinha esquecido no quintal lá de casa. a estrela sorriu do meu atrevimento, me agradeceu com um leve aceno de cabeça e retomou a letra da canção.

depois, ganhei um beijo que guardei para lembrar o dia em que cantei com dalva de oliveira.


Eduardo Montagnari

6 comentários:

Anônimo disse...

Paul
Muito interessante o tributo do Eduardo. Cadência e poesia.

Abraços matinais.
Valdir

Anônimo disse...

Mr. Paul
O texto é muito bacana. A Dalva merece este tipo de homenagem. A musica do Eduardo é uma delícia.
Muito boa.
Abs.
Vera Lucia

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Valdir obrigado pelo comentário.
abs

Vera é isso aí. A música do Edu é boa mesmo.
abs

paul

pituco disse...

uma homenagem bacanuda a do eduardo...

abraçsons

Carla Ayres disse...

Bingo!!!
Meu caro amigo Dudu e suas belas composições. Muito bem recordado, meu caro amigo (ainda virtual), Paul!
Obrigada pelas leituras constantes aos meus textos e desculpe-me nao retribuir à altura!
abç

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Carla
obrigado pelo comentário.
não tem nada para se desculpar menina.
teu blog é supimpa.
abs
paul