31/01/2010

Saudosas Bolachas (03/1973)

EUMIR DEODATO

O início dos anos 70 foi uma época marcante na carreira do pianista, arranjador e compositor Eumir Deodato. Seu desempenho artistico nos anos 60, durante o periodo efervescente do Samba Jazz, fazendo arranjos para diversos grupos, cantores e cantoras; e gravando seus albums instrumentais, o levaram ao mercado norte americano que rapidamente o absorveu.
Em 1973, com 30 anos de idade, ele lança dois álbuns.
Skycrapers /Os Catedraticos” e “Prelude”.

Os dois álbuns trazem Eumir imerso no mundo apimentado de funk reluzindo nas verves brasilianistas do compositor. Ele explora o piano elétrico e o órgão e decola sua musicalidade devaneante por vôos interessantes.

“PRELUDE”(1973)

"Prelude", com sua versão jazzy/funky de “Also Sprach Zaratrusta/Assim Falou Zaratrusta” (Richard Strauss) ganhou o Grammy de melhor álbum de Jazz em 1974. Ainda hoje é uma versão reconhecida pelo grande publico em diversos pontos do planeta. Foi o álbum mais vendido na carreira de Eumir. Ganhou o disco de platina pelo grande sucesso de vendagem.
O álbum traz as guitarras de John Tropea e Jay Berliner; Ron Cartes e Stanley Clarck nos baixos e Bill Cobhan, Airto Moreira e Ray Barreto na linha percurssiva.
Prelude é um álbum consistente e traz oitos faixas. Seis delas assinadas por Eumir, e as duas versões jazzy de musicas clássicas, uma de Strauss e outra de Debussy.

“Also Sprach Zaratrusta/Assim Falava Zaratrusta”(Richard Strauss)

“Spirit of Summer/Espirito do Verão””(Eumir Deodato)



SKYCRAPERS”
(nome recebido no exterior)
"OS CATEDRATICOS" (nome recebido no Brasil)

O album foi gravado no segundo semestre de 1972 e lançado em 1973 no Brasil e no exterior.
Naquele ano, Eumir veio ao Brasil e se reune com musicos amigos do Tamba Trio (Helcio Milito, Bebeto) e do Azimuth (Mamão, Orlandivo e Zé Menezes). Fazem um album recheado de um astral acustico e elétrico, passando pelo samba, pela bossa e pelo funk, com temas dos irmãos Valle, de Ataulfo Alves e do próprio Eumir.

Ficha técnica: Eumir Deodato (piano, organ, arrangements, conduction), Ivan Conti "Mamao"(drums),Sergio Barroso(bass),Durval Ferreira, Ze Menezes(guitar),Bebeto(congas) , Helcio Milito e Orlandivo(percussion); Marvin Stamm, John Frosk(piston, flugelhorn)
Wayne Andre(trombone)Phil Bodner(tenor sax, flute)Romeo Penque(flute).

“Skycrapers”/"Os Catedraticos" traz uma sonoridade similar ao de "Prelude" em algumas faixas, como a que leva o titulo, contudo, há o uso mais freqüente de sonoridade acústica, o que confere ao disco uma atmosfera mais “beira de mar”, Brasil.

“Skycraper/Arranha-Céu”(Eumir Deodato)

“The Gap/A Brecha”(Eumir Deodato)

6 comentários:

pituco disse...

grande paul,

post piramidal...mr.deodato e os catedráticos...creio que não há músico que não curta, não é verdade?...antológico.

prelude é clássico.

abraçsons e obrigado pela lembrança desse sonzaço bacanudo no pedaço.

Nick disse...

Paul fantastico matar a saudade com Eumir Deodato, ouvir Arranha Ceu / skycraper foi demais Nick

Érico Cordeiro disse...

Maravilha, Mr. Paul!
O Deodato é show, seja como músico, como compositor e como arranjador!!!
O Prelude, com sua versão para Also Sprach Zaratrusta, é o mais conhecido e vendeu milhões de cópias pelo mundo.
Mas prefiro os discos mais antigos!
Abração!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

grande pituco, acho q vc tem razão.
Eumir Deodato é uma fera musical.
Ele faz parte de uma geração que tem feras e mais feras nesta área.
Uma benção.
Abs
paul, seu kpal blogueiro.

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Nick bem vindo ao Musa.
Que legal que o Deodato lhe trouxe
boas recordações.
Musica dos anos 70 são belezas para nossa geração.
Abs.
musa musicais
paul

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Mr. Érico concordo que há coisas lindas do Deodato gravadas nos anos 60. O album ^Inutil Paisagem^ de 66 é uma obra prima.
Mas considero o q ele fez em 73 primoroso. Hoje mesmo, passei boa parte da tarde ouvindo o album Skycrapers, e delicie-me. É pura musica, verve e soltura. Grande aura produtiva.
abs
Paul