23/04/2010

Na Era dos Trios (05)

JONGO TRIO
(1965-1969)

Jongo Trio foi um trio formado em São Paulo em 1965 pelo pianista Cido Bianchi, que tocava na boate Stardust, o baixista Sabá (que tocava na Baiuca) e o baterista Toninho (que tocava com Pedrinho Mattar).
O Jongo aconteceu na noite paulistana, pelo circuito paulista da Bossa Nova (Teatro Arena, Boate Cave, Teatro Paramount e o programa de Tv, o Fino da Bossa). Acompanharam por dois anos a dupla Elis Regina e Jair Rodrigues.
Uma das características marcantes do Jongo Trio é que além da excelente musicalidade havia uma afinação vocal muito apreciada no trio e que usavam invariavelmente em suas versões.
Em 69 o grupo se desfaz, mas logo uma nova formação surge como o nome de Jongo Trio e Companhia, que gravaria em 70 e 72.
Ficou para a posteridade o belo album gravado em 1965.

Eternidade (Luis Chaves / Adilson Godoy)

Garota Moderna (Evaldo Gouveia / Jair Amorim)

Arrastão (Edu Lobo)



JOÃO DONATO E SEU TRIO
(1962-1963)

Em 62 quando João Donato volta de uma temporada de 04 anos nos Estados Unidos, sua cabeça imersa em Jazz e vislumbrando o estouro da Bossa Nova o levou a formar um trio com Tião Neto (baixo) e Milton Banana (bateria).
Gravaram o album “ Muito a Vontade”(1962) que é considerado o primeiro disco de João Donato exclusivamente ao piano e com nove composições suas entre as 12 gravadas.
Em 63 voltariam com o excelente “A Bossa Muito Moderna”. Este album traz “Indio Perdido” (João Donato) que anos depois Gilberto Gil colocaria letra e a transformaria em “Lugar Comum”.
O João Donato Trio é marcante e moderno. Traz o inquieto piano de Donato, a maciez percurssiva de Banana e o amalgama tonal de Tião Neto.

Muito À Vontade (João Donato)

Outra vez (Tom Jobim)

Índio perdido (João Donato)




JORGE AUTUORI TRIO
(1966-1970)


Jorge Autuori baterista pernambucano (?) comparado a Milton Banana pelo estilo leve e envolvente de tocar Bossas e Samba Jazz. Realmente ao ouvir seus albums percebe-se com clareza o domínio e a técnica de Autuori.
Entre 67 e 70 encontram-se três álbuns gravados pelo Jorge Autuori Trio.
Jorge Autuori Trio, Vol.01 (1967), Jorge Autuori Trio, Vol.2 (1968), pela Mocambo Recordos, e Ovalô (1970) pela RCA Victor. Em nenhum dos três álbuns se encontra os créditos do pianista e do baixista. Excesso de personalismo, falha da produção?
Assim mesmo o som permanece, claro, límpido, maneirissimo.

Capoeira De Oxalá ( Luiz Carlos Sá)

Zazueira (Jorge Ben "Jorge Benjor") -- Que Pena (Jorge Ben "Jorge Benjor") -- País Tropical (Jorge Ben "Jorge Benjor")

Tem Mais Samba(Chico Buarque De Hollanda

6 comentários:

Rotten´N spoiled disse...

MARAVILHA!!!!!! eu fiquei um pouco fora,but I´m back!!!!
Essa Garota Moderna é de arrazr,hein?! Caramba!!! como é bom estar de volta!!!! LOng life to Muza Musica!!!!!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

muito obrigado Rotten....Garota Moderna é uma bela composição sim.....abs
paul

pituco disse...

grande paul,

sempre antenado e nos trazendo discos piramidais...uau

os do jorge autuori não conhecia...valeô a dica

abraçsons
e curtindo o sonzaço

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

valeu pituco.
abs
paul

Érico Cordeiro disse...

Mestre Paul,
Grandes escolhas, de grandes (e alguns esquecidos) artistas. Tenho esse disco do Donato (assim como o cd "A Bossa Muito Moderna") e é maravilhoso. Como toca o nosso querido Donato!!!
O Jongo Trio foi o embrião do Som Três, que trazia o Sabá, Toninho e o jovem César Camargo Mariano e que acompanhou Simonal no auge de sua carreira.
Quanto ao Autuori, não o conheço (da família, só conheço o Paulo Autuori - rs, rs, rs), mas o som é bacanudo!
Abração!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Master Èrico (kk)
esta pesquisa de Trios as vezes saem num beco sem saida...se um dia eu me encontrar com o Paulo Autuori (aposto que já dirigiu seu Vasco, nem tenho certeza) vou perguntar se ele tem parentesco com o Jorge Autuori e pergurtar mais sobre a carreira deste incrivel baterista.

No mais tem mais trios pela frente, certamente sobre o Som Tres.
abs
paul