16/08/2010

Na Era dos Trios (10)

ZIMBO TRIO
(1964- até hoje)

O Zimbo Trio formou-se em São Paulo na reunião de Luiz Chaves (baixo), Rubens Barsotti (bateria) e Amilton Godoy (piano). Considerados como expoentes da ala paulista da Bossa Nova, enquadra-se o grupo na vertente do Samba Jazz, do Brazilian Jazz. O Zimbo Trio é sem duvida um dos Trio que desde os anos s60 ainda continua ativo apesar do falecimento de Luiz Chaves em 2007.
O Zimbo tem mais de 40 albuns gravados e acompanharam durante os anos 60 e boa parte do anos70 um grande numero de cantores e cantores, desde a Bossa até a MPB.
O grande êxito popular do Zimbo se deve a grande expoisação que tiveram por acompanharem ao vivo as apresentações televisivas do programa ‘O Fino da Bossa”, que durante 02 anos foi um dos mais populares da televisão. O programa era apresentado por Jair Rodrigues e Elis Regina. O Zimbo neste período realizou diversas excursões pela Europa e teve discos gravados com orquestras de cordas; assim como com grupos de choro.
A carreira do Zimbo Trio se mistura com o surgimento dos trios nos anos 60, passa pelos festivais, passa pela MPB e desemboca numa tradição criada na cidade de São Paulo com o CLAM (Centro Livre de Aprendizado Musical), criado pelos músicos nos anos 70 e que mantém a idéia vertente de mesclar o erudito, o jazz e o popular.

Gravadora : RGE
Ano : 1968
“Decisão – Zimbo Trio + Metais”
Luiz Chaves (baixo)
Rubens Barsotti (bateria)
Amilton Godoy (piano)
Arranjos : Amilton Godoy

“Feitio de Oração’(Vadico/Noel Rosa) do album “Decisão” (1968)

“Canção do Sal”(Milton Nascimento) do album “Decisão” (1968)

“Mancada”(Gilberto Gil) do album “Decisão” (1968)




SERGIO MENDES TRIO (1964_1965)

Sergio Mendes, tecladista e arranjador de Niteroi foi uma espécie de pioneiro, porta voz, do samba jazz nos Estados Unidos, onde estourou de forma veemente em 1966 com sua versão de “Mas Que Nada”de Jorge Bem Jor, liderando o sexteto Sergio Mendes e Brasil 66.
Antes deste sucesso Sergio montou no Brasil o Sexteto Bossa Rio que gravaou um album em 1961, “Dance Moderno”.
Sergio e seu grupo excursionaram pela Europa e pelos Estados Unidos, onde em 64 Sergio decide se fixar e foi neste período que ele começa a desenvolver ao mesmo tempo trabalhos com um sexteto e por outro lado com um trio, o Sergio Mendes Trio formado por Sergio Mendes (piano), Chico Batera (bateria) e Tião Neto (baixo).
O Trio chegou a fazer shows nos Estados Unidos, gravou 02 albuns (Bossa Nova York -1964/Brasil’65, Trio Sergio Mendes e Wanda de Sah) .
Elegante, eclético e acima de tudo criativo, o trio traz elegância e em sua sonoridade uma modernidade revigorante e hoje clássica.

Bossa Nova York
Gravadora : Elenco
Ano: 1964
Músicos: Chico Batera : Bateria
Sérgio Mendes : Piano
Tião Neto (Sebastião Costa Carvalho Neto) : Contrabaixo
Part. Especiais: Hubert Laws : Flauta Tom Jobim : Violão, Phil Woods : Saxofone Alto, Art Farmer : Flugelhorn,
Arranjos: Sérgio Mendes

“Primavera” (Carlos Lyra/Vinicius de Moraes)

“Paul Brasil”(S.Moraes)

“Consolação”(Baden Powell/Vinicius de Moraes)



4 comentários:

Érico Cordeiro disse...

Mr. Paul,
Dois álbuns fundamentais!
Maravilhas sonoras, cuja audição é um deleite!!!
Fiz um post sobre o Sérgio Mendes, abordando exatamente esse disco "Bossa Nova York", que conta com participações especialíssimas de Tom Jobim, Art Farmer e Phil Woods.
Ótima lembrança!!!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

é isto ai mr.Erico.
O Zimbo Trio e o Sérgio Mendes Trio são dois grupos incriveis mesmo. Bom de se ouvir.
abs
paul

pituco disse...

grande paul,

postagem piramidal...

percebe-se que os temas desses dois álbuns são brazucas pacas, não é verdade?

a swingueira também...

como diria o sr.joão gilberto, lá do/no facebook...coisa linda

esse o sérgio mendes...junto com você ainda não ouviu nada...são fundamentais...como bem lembrou o amigo érico san

abraçsons e vamuquivamu

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

eh puro jazz brasileiro amigo pituco.
beleza
abs
paul