15/02/2011

saudosas bolachas (26/73

raizes na América...


DOM UM ROMÃO
“SPIRIT OF THE TIMES” (1973)


Dom Um Romão (1925-2005) baterista carioca que destacou-se nos anos 50 e 60 tocando no Brasil 66, Copa Trio, no Trio 3D, no Trio Dom Salvador, no Bossa Trio, no Copa Trio e com Elizeth Cardoso. Dom Um Romão trazia um estilo vigoroso e ao mesmo tempo técnico e suave, característico dos músicos da Bossa Nova.
Aclamado por críticos nos Estados Unidos, nos anos 60 não teve dificuldade de se estabelecer na terra do Tio Sam e tocar com muitas cobras locais. Nos Estados Unidos sua bateria se faz presente nas gravações antológicas de Jobim & Sinatra e nas de Stan Getz & Astrud Gilberto. Em 71 ele integrou o Weather Report, banda americana de jazz progressivo, substituindo Airto Moreira. Em 73 saindo do Weather e entrando na banda Blood, Sweat and Tears, encontramos Romão no estúdio Black Beans em Nova Jersey gravando o “Spirit of the Times” imerso na sonoridade norte americana de jazz progressivo e envolto em suas próprias raízes afro-brasileiras. “Spirit of the Times” traz Joe Beck (guitarra), Sivuca (Orgao e Piano), Jerry Dodgion (Flauta e Sax), Woodwind Lloyd McNeill (Flauta), Portinho (percussão), Don Salvador (piano), Mauricio Smith (Sax), Amauri Tristao (guitarra), Frank Tusa (baixo) e Dom Um (bateria, berimbau, percussão e arranjos)

Shake (Ginga Gingou) (Romao) - 3:01

Lamento Negro (Porto/Secundino) - 4:00

Kitchen (Cosinha) (Romao) - 2:47



SIVUCA
"LIVE AT VILLAGE GATE"(1973)

Severino Dias de Oliveira, o Sivuca (1930-2006), musico paraibano, começou a tocar sanfona aos nove anos de idade e durante infância e adolescência animou festas de aniversários e casamentos em sua Itabaina. Mudou-se para Recife aos 15 anos de idade, em 45, quando adotou o nome artístico de Sivuca e começou a tocar na Rádio Clube de Pernambuco. Na rádio conheceu Humberto Teixeira com quem consagrou uma frutífera parceria da qual “Adeus Maria Fulô”. Em 55 mudou-se para o Rio de Janeiro tocou na Radio Tupi e excursionou com o grupo Os Brasileiros pela Euroupa. Radicou-se em Paris onde gravou diversos discos e em 64 mudou-se para Nova York onde viveu por mais 12 anos. Sivuca tocou com Miriam Makeba entre 68 e 69, quando fez o popular arranjo de “Pata Pata”, hit de Miriam no fim dos anos 60. Nos 70 Sivuca encontrou diversos músicos brasileiros nos EUA e notadamente trabalhou com Hermeto Paschoal, Airto Moreira e Dom Um Romão, emprestando a sua sanfona tribal que tratava o mundo como sua palma da mão, escorregando entre o nordestino e o jazzístico num átimo e com a simplicidade do andar de um jegue. Foi neste período onde reencontra músicos brasileiros que Sivuca grava o show que fazia em NY, o “Live at Village Gate” (Vanguard/EUA e Copacabana/Brasil).

“Berimbau” (Baden Powell/Vinicius de Moraes)

“No Rancho Fundo”(Ary Barroso)


2 comentários:

pituco disse...

grande paul,

muito bom...outro dia estava revendo vídeos com o dom um romão...inclusive já mais velho com a ithamara...é isso aí

abraçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

é isto ai meu caro pituco.
dom um romão foi um grande personalidade musical, assim como sivuca.
abs
paul