19/10/2009

de volta com um parenteses : Leonard Cohen


“Pau” no computador. Quase 05 dias sem internet, sem “router driver” e “audio driver”; somando-se a isto meu tornolezo esquerdo inchado.

Agora que quase tudo se restaurou, quero antes de voltar ao Saudosas Bolachas e publicar belas entrevistas que andei fazendo, compartilhar com vocês o lindo show que assisti sábado passado num ginásio, o Bank of America Arena (com capacidade para 25.000 pessoas), que fica perto de onde vivo.
Fui ao show de Leonard Cohen, poeta, cantor e compositor canadense de 75 anos de idade.
Leonard ė dono de uma voz poderosamente grave, envolvente ; ė um poeta lirico musical, criador de canções lindissimas, embedidas em poėtica romântica, mistica e solene.
O show faz parte de uma tour que Leonard iniciou ano passado em New York, já rodou pela Europa e agora está passando pelo Sul dos Estados Unidos.
O show reuniu certa de 15.000 pessoas que aplaudiram de pė por mais de três minutos a entrada de Leonard no palco. Emocionado ele agradeceu a calorosa recepção e disse: “Estou velho e não resta muito de mim agora, portanto, vou lhes dar tudo o que tenho esta noite.”
O show, dividido em duas partes durou cerca de 2 horas e meia. A banda que o acompanhava e que, em várias partes do show, recebia elogios metafóricos de Cohen; foi composta pelo espanhol Javier Mas (violão 12 cordas, bandolin); o italiano Dino Soldo (gaita, saxophone e clarinet); o Americano Rascal Beck (baixo); o sueco Neil Larsen (órgão); Bob Merzier (guitarra); e Charlie Webb, Hattie Webb e Sharon Robinson (back vocal).
Foi um show lindo e comovente. As canções de Cohen com belos arranjos de musica cigana e rock balada dos anos 70; sua voz impecável que não mudou com o tempo; e por fim, sua figura magra e singela que traz uma masculinidade marcadamente anos 70: o homem gentil, amante e sensivel.
O fio de canções como “”Dance Me to the End of Love”; “Everybody Knows”; “Anthem”; “Suzanne”; The Gipsy’s Wife”; “ Hallelujah”; “I’m Your Man”; “Take This Waltz” e “If It Be Your Will”, entre outras, foram tratadas por ele mesmo com tamanha solenidade; como verdadeiros hinos de amor, loucura e prazer que só fez calar no coração da platėia o silencio do prazer eadoração.


Cena do mesmo show que eu vi gravado por um fã em Copenhagem em 2008.
“Hallelujah” (Leonard Cohen)


2 comentários:

Érico Cordeiro disse...

Welcome back, Mr. Paul,
De volta em grande estilo, com um showzaço do bardo Leonard Cohen, em plena forma aos 75 anos.
Valeu pela postagem, que me deixou com uma pontinha de inveja.
E recupere-se logo do problema no tornozelo, ok?
Grande abraço!!!!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

mr. Erico....q bom q vc gosta do Leonard Cohen...o show foi muito legal mesmo...o bom eh q foi perto de casa e o melhor foi q eu e Lu (minha esposa) ganhamos os ingressos de presente de uma pessoa amiga q sabe q a gente adoro a musica dele....sobre o tornozelo obrigado pelos votos e estamos ai , andando devagar e sempre...
abs
e mande ver que seu blog eh totalmente demais viu?

tudo de bom
paul