10/03/2010

A Era dos Trios

Anos 60

O Trio de Jazz é um termo usado para um grupo formado geralmente por um piano, um baixo e uma bateria, mas que pode sofrer modificações. Na maioria das vezes o pianista se apresenta como líder, ou como condutor/arranjador musical do trio. A origem do trio se dá nos anos 30, nos Estados Unidos, e é alegada ao norte americano Benny Goodman que em 1935 gravou com este formato, sendo ele no clarinete, Teddy Wilson no piano e Gene Krupa na bateria.
Os trios do Jazz americano são vários e destacam-se pelas décadas de 40 e 50 os trios de Bil Evans, de Vince Guaraldi, de Herman Blount, de Art Tatum entre outros.
O formato Trio no Jazz é extremamente interessante e preza pela improvisação musical.
No Brasil com a Bossa Nova e sua repercursão internacional houve um verdadeiro “boom”de Trios no Brasil, principalmente na cidade do Rio de Janeiro, que com o Beco das Garrafas e outras casas noturnas se tornou uma Meca do Samba Jazz, do Brazilian Jazz. Neste periodo houve uma proliferação exarcebada de trios, como nos anos 80 houve de bandas de Rock em São Paulo e Brasilia.
O interessante deste movimento musical, nos anos 60, foi a alta qualidade musical alcançada pelos trios, a sua originalidade criativa reinterpretando canções da Bossa Nova e apresentando invariavelmente composições próprias.
É extremamente relevante o alto grau qualitativo que estes trios alcançaram dentro do cenário musical como um marco único e que depois de findo jamais se repetiu.
Por isto vale a pena relembrá-lo.
Apresentarei aqui 25 Trios que gravaram e surgiram na década de 60.
Desta leva surgiram e atuaram musicos como Antonio Adolfo, Cesar Camargo Mariano, Hermeto Paschoal, Eumir Deodato, João Donato, Milton Banana, Dom Salvador, Luiz Eça, Raul de Souza, Dom Um Romão, Luis Carlos Vinhas, entre tantos outros.

TRIO SURDINA (1953)

Porém para iniciar esta série trago aqui para nossa lembrança e homenagem o Trio Surdina.
O Trio Surdina é um trio de musica instrumental formado em1953, por iniciativa de Paulo Tapajós artístico da Rádio Nacional que convidou o violinista Fafá Lemos , o do Arcordeom (acordeom) e Garoto (violão) para formarem um Trio.
O Trio Surdina chegou a gravar dois álbuns (1953 e 1956).
Pode-se considerar o Trio Surdina como um precurssor dos trios que surgiram na década seguinte.
Fica aqui uma amostra deste Trio estiloso e interessante, com o envolvente violino de Fafá Lemos, a sustentatibilidade do violão de Tapajós e as desafianças do acordeão de Chiquinho.

“Comigo É Assim”(Luiz Bittencourt/José Menezes)

“Maria-lá-ô”(Ernesto Leucona)

“Iracema na Escócia”(Pernambuco)

6 comentários:

Érico Cordeiro disse...

Mestre Paul,
Mais uma vez, você nos surpreende. Que lembrança maravilhosa. Só conheço o Trio Surdina de nome. O Fafá Lemos foi um músico muito importante e incentivou muitos jovens talentos, como o próprio Heermeto.
Tenho um disco dele, coma Carolina Cardoso de Menezes (pianista da velha guarda) que é fantástico (saiu pela Eldorado, com produção do Zuza Homem de Mello).
Valeu.
Abração!

Rotten´N spoiled disse...

Sinto um tempero(sauce) nordestino neste trio,que eu não conhecia! Tempero pra lá de saboroso!Estou certa???

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Erico
q bom q vc pode conhecer um pouquinho do Trio Surdina, é um grupo interessante e curioso para a compreenssão da história da musica brasileira.
Fafá Lemos é uma página a parte, tenho um disco dele dos anos 60 eu creio que é um luxo..ele com seu violino tocando Aquarela do Brasil é finissimo.
Acho q ele deve ter influenciado o Jorge Mautner, sem duvida.
Este disco, q vc cita, do Fafá com a Carolina Cardoso eu não conheço, vou ficar de olho e ver se encontro..decerto q deve ser ótimo.

abs
paul

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

Rotten
tu ta mais q certa menina!!!
q bom q vc gostou.
abs
musa
musicais
paul

Érico Cordeiro disse...

Paul,
Se vc quiser, te mando via Pando.
abs!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

sounds great Erico.
isto é , beleza, manda ver.
obrigado
abs
paul