06/08/2010

Na Era dos Trios (09)

TEMPO TRIO
(1961-1968)

O Tempo Trio surgiu no cenário musical em 64 formado pelo pianistar Helvius Vilela (1941-20100), Paulo Horta (contrabaixo) e Pascoal Meirelles (bateria).
Antes da formação do trio, Hélvius se apresentou no Festival de Jaz do Rio de Janeiro em 1961, vencendo o festival com sua composição “Persipália”. O fato abriu as portas do Rio para o trio que tocava na noite de Belo Horizonte e logo migrou para onde o Samba Jazz vivia uma época áurea e havia intensa proliferação de trios de jazz. O Tempo Trio durou até 67 acompanhando diversos cantores e cantoras. O Trio gravou um único album em 65 que teve belos arranjos de Helvius e uma harmonia requintada dos integrantes do trio.

“Tempo Quente”(Helvius Vilela)

“Boranda”(Edu Lobo)

“Menino das Laranjas”(Theo de Barros)




TRIO 3-D
(1963-1965)

O Trio 3D nasceu , no Rio de Janeiro, da reunião de amigos de escola colegial em volta do piano educado no clássico de Antonio Adolfo e que se fundia no jazz; e que se chamava Samba Cinco.
Deste grupo 03 integrantes chegaram aos ensaios da peça-musical “Pobre Menina Moça” (Carlos Lyra/Vinicius de Moraes) , passaram a fazer parte da encenação e foi quando Carlos Lyra os batizou de trio de 3D. Nascia o Trio 3D com Antonio Adolfo (piano), Nelson Serra (bateria) e Catcho Pomar (baixo); posteriormente substituído por Carlos Monjardim. O Trio teve uma vida relativamente breve (quase quatro anos completos de existência) e deixou-nos dois álbuns vigorosos com. arranjos interessantes de clássicos da Bossa Nova e outras composições inéditas. Destacam-se a fluência empírica do Trio na condução do piano de Antonio Adolfo, passando pela cadência percussiva do baixo e da bateria. Os arranjos do Trio eram de Antonio Adolfo e nos dois álbuns gravados pelo Trio há participações ilustrativas de Eumir Deodato, Dom Salvador, Raul de Souza, Edson Maciel, Claudio Roditi, Arisio, JT Meirelles , e Paulo Moura entre outros.

Clouds (Durval Inacio Ferreira/Moyses Einhorn)

Perter Samba (Durval Inacio Ferreira/Moyses Einhorn)

Garota de Ipanema (Tom Jobim/Vinicius de Moraes)



TRIO MARAYA
(1954-1968)

O Trio Marya formado por Marconi Campos da SilvaI(violão e vocal), Behring Leiros (vocal e baixo), Hilton Acioli (vocal e percurssão) surgiu em Natal , Rio Grande do Norte, da reunião destes músicos que tocavam na Sociedade Artistica Estudantil na Radio Poti em Natal. Durante um congresso da UNE (Uniáo Nacional dos Estudantes) realizado em Natal em 56 o grupo se apresentou e recebeu convite para se apresentar no Rio de Janeiro.
O Trio mesclava o canto regional com influëncias estéticas da Bossa Nova. A suavidade vocal que remete aos Cariocas como ao MPB-4, e os ingredientes sutis de sua musicalidade fez do Trio Maraya um trio bastante expressivo em seu momento.
Hermeto Paschoal em diversos trabalhos gravados do Trio Maraya contribuiu com arranjos de sopros e tocou sua flauta.
O Trio gravou 06 albuns. Seus integrantes nos anos 80 passaram a se dedicar a fazer jingles e um fato curioso na vida destes músicos é que foram os autores do jingle da primeira campanha presidencial de Lula, o histórico “Lula lá”.

Balança a Roseira (Geraldo Vandré)

Meu Sertão (Eu Vou Voltar) (Hilton Accioli / Geraldo Vandré)

Canto de Ossanha (Baden Powell / Vinicius de Moraes)

4 comentários:

pituco disse...

paul,

esse blog é piramidal...valeô pelas postagens...a era dos trios é pra lá de bacanuda...curtindo pacas...obrigadão

apenas uma sugestão...por quê não postas junto aos discos a ficha técnica e lista de músicas e autores???...tô pedindo demais???...hehehe

abraçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

nao nao esta pedindo demais nao pituco....não me ocorreu postar este tipo de informação...vou começar a tentar fazer isto, de fato as vezes nem tenho esta informação..as vezes sim, as vezes não...
ah...este é o penultimo post sobre a era dos trios...só faltam mais dois da lista de 34 q postei aqui.
abs
paul

Érico Cordeiro disse...

Grande Paul,
Complementando o pedido do amigo Pituco, peço também que, sempre que possível, seja informado se o disco foi lançado em cd e por qual gravadora.
Não conheço o Maraya e o Tempo Trio só conheço de nome. Já o Trio 3D, do fantástico Antônio Adolfo, é meu velho conhecido e tenho esse disco postado. É simplesmente de cair o queixo!
Valeu pela série - que, ao que parece, vai chegando ao fim. Mas pense logo em outras maravilhas para postar por aqui, ok?
Abração!

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

pituco e erico obrigado pelo toque..vou tentar manter este tipo de informação.

o Trio Maraya, originalmente Trio Marajá e o Tempo Trio são pérolas de poucos discos lembrados atualmente.
uma pena.
qto ao Trio 3D, podia ser chamado tranquilamente de Trio 3D+.
è tudo de bom mesmo.
abs
paul