20/06/2011

Saudosas Bolachas (03/1974

Os cancioneiros nordestinos

BELCHIOR

“MOTE E GLOSA”(1974)

Baladas sentimentais cantigas neonordestinas, politizadas nas entrelinhas pelo sentimento amargurado do fim de um sonho. Em 74 Belchior encarnou em seu primeiro album o sentimento exato da dimensão vazio da ruptura ocorrida com a brutalidade da ditadura e a ineficiência da oposição. No contexto cultural a voz chorosa de Belchior com suas letras falando de um cansaço de não poder falar palavra, de uma balada nova e uma camisa toda suja de batom bateu forte no sentimento vigente e talvez seja a razão de seu estrondoso sucesso.O certo é que o, então, jovem compositor e cantor cearense trouxe ao cenário musical brasileiro uma definitiva contribuição

Intérprete: Belchior
Álbum: Belchior
Ano: 1974
Selo/Gravadora: Chantecler
Nº de catálogo: CMGS 9073

“Mote E Glosa”(Belchior)

“A Palo Seco”(Belchior)

“Todo Sujo de Batom”(Belchior)


“Na Hora do Almoço”(Belchior)


EDNARDO

"O ROMANCE DO PAVAO MISTERIOSO" (1974)

Depois de se tornar relativamente conhecido pela mídia com o Pessoal do Ceará (1973), Ednardo grava o seu primeiro album, O Romance do Pavao Misterioso, que traz uma de suas obras mais conhecidas, o Pavao Misterioso.

Porém o disco revela a riqueza poética e musica deste compositor pernambucano, descolado de qualquer necessidade de dizer ou desdizer. Apenas revelando o seu universo pessoal através do canto neo nordestino que naquele momento ganhava corpo em seu canto e no de outros. Misturando elementos da cultura local com influências externas e ainda tocando com instrumentos pouco usuais, até então, na execução de musicas consideradas regionais.

A poesia musical de Ednardo revestida de delicadeza e requinte é outro marco do 1974.

FICHA TÉCNICA
Coordenação Artística e Direção de Estúdio - Walter Silva
Técnicos de Som - Stelio Carlini / G. João Kibelkstis (Joãozinho) / Edgardo Alberto Rapetti
Gravação e Mixagem - Estúdio A da RCA em São Paulo - 16 Canais
MÚSICOS
Arranjos e Regências - Hareton Salvanini / Heraldo do Monte / Isidoro Longano
Violão e Percussões – Ednardo, Viola e Guitarra - Heraldo do Monte,Flauta e Sax Tenor ,Isidoro Longano (Bolão),Banjo - Luiz de Andrade,Contra Baixo (Acústico e Elétrico) - Gabriel J. Bahlis Bateria - Antonio de Almeida (Toniquinho),Tímpanos - Ernesto de Lucca,Tumbadoras - Rubens de S. Soares,Percussões - José Eduardo P. Nazário / Jorge H. Silva / Dirceu S. de Medeiros (Xuxu),Piano Cravo (elétrico) - José Hareton Salvanini,,Flauta / Pícolo - Demétrio S. de Lima, Flauta / Sax Alto - Eduardo Pecci,Clarinete - Franco Paioletti, Oboé - Benito S. Sanchez, Baixo Tuba - Drausio Chagas, Pistons - Sebastião J. Gilberto (Botina) / Settimo Paioletti, Trombones -Roberto J. Galhardo / Antônio Secato, Violoncelos - Ezio Dal Pino / Flabio Antonio Russo, Violinos - Jorge G. Izquierdo / Oswaldo J. Sbarro / Caetano D. Finelli / Dorisa Soares, Antonio F. Ferrer / German Wajnrot / Alfredo P. Lataro / Joel Tavares, Participação Especial - Amelinha no Vocal da faixa "Ausência

“Carneiro”(Ednardo / Augusto Pontes)

“Varal”(Ednardo/Tania Araujo)

“Dorothy Lamour”(Petrucio Maia/Fausto Nilo)

“Paváo Mysteriozo”(Ednardo)

3 comentários:

pituco disse...

grande paul,

faz parte de minha formação...obrigadão pelo lindo resgate...

arrepare não,mas enquanto engoma a calça eu vou lhe contar...

abraçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

grande pituco
acho q por sermos da mesma geração tbm faz parte da minha formação.
....arreparei sim...risos

abs
paul

Mr. Rocker disse...

Ednardo não é pernambucano, e sim cearense. Na minha opinião o mais talentoso da turma que ficou conhecida como o pessoal do Ceará.