29/11/2011

O Centenário de Nelson Cavaquinho

NELSON CAVAQUINHO
(28/10/1911 – 18/02/1986)


2011 é ano em que se comemora o centenário do nascimento de um dos grandes expoentes do Samba, foi em Outubro de 1911 que nasceu Nelson Antonio da Silva, o Nelson Cavaquinho grande compositor do samba. Dono de um exuberante compasso lento e ritmado que se expressava no que hoje se chama Samba Elegante. Nelson foi um dos muitos, mas como poucos, que deu ao Samba a qualidade de musica popular, celebrando suas raízes, misturando-a aos barulhos da cidade dos anos 30/40 invernando-se na boêmia daqueles anos; ressalta-se, com lirismo.

Não há neste mundo o ambiente que possa propiciar o samba como surgiu naqueles idos tempos. Penso que quando Vinicius disse que São Paulo era o tumulo do samba, hoje, se estivesse vivo, talvez dissesse que o Brasil inteiro é o seu tumulo. Mas a criatividade, a sensibilidade, a energia e a musica persistem.
Ouvir Nelson Cavaquinho nos faz refletir sobre a beleza do samba.

Nelson Cavaquinho nasceu Nelson Antonio da Silva, no Rio de Janeiro no dia 28 de outubro de 1911. Nelson era um dos seis filhos da lavadeira Maria Paula da Silva, uma mestiça índia e paraguaia e do contramestre da Banda da Policia Militar Bras Antonio da Silva. Nelson passou a infância entre uma formação católica rígida e trabalhando como ajudante de eletricista. Influenciado pelo pai (tocador de tuba) e seu tio violinista desde cedo aprendeu a apreciar a musica. Outra paixão era o futebol que o levou a jogar por um tempo como ponta direita do Barreira, clube de várzea.
Na adolescência aprendeu a tocar o cavaquinho e passou a frequentar clubes recreativos de Choro, onde passou a se apresentar em rodas de Choro e ganhou o apelido de como ficou conhecido: Nelson Cavaquinho.

 Aos 20 anos de idade, influenciado pelo pai, ingressou na Cavalaria da Policia Militar. A cavalo ele patrulhava o Morro da Mangueira, mas ao invés de patrulhar ele confraternizava nos bares com sambistas. Foi dai que surgiu sua amizade com Cartola e Carlos Cachaça. Seu espirito boêmio lhe custou o emprego e o Samba o fez trocar o cavaquinho por um violão, mas mesmo assim o nome não mudou.
Depois de tentativas frustradas em trabalhar em fabricas, Nelson passou a se dedicar mais a musica. Com Carlos Cachaça e posteriormente com Guilherme Brito iniciou uma parceria e com o tempo seus sambas começaram a ser gravados por Cyro Monteiro e Roberto Silva. Nelson passou a vida compondo, são mais de 400 canções de samba e choro. Encontra-se sua musica nas vozes de Beth Carvalho, Nara Leão, Clara Nunes, Paulinho da Viola, Nelson Gonçalves, Elizeth Cardoso e tantos outros.

Mas a verdade é que não se sabe muito bem o quanto ele produziu, pois de fato, Nelson chegou a vender muitas de suas composições por urgência de dinheiro.
Fato interessante é que o guitarrista de jazz norte-americano, Jim Hall, gravou sua “Beija-Flor”(Nelson Cavaquinho) em bela versão instrumental. A musica esta no álbum “Hemispheres” (2009).
Suas canções entre as mais citadas são “Flor e Espinho”(Nelson Cavaquinho/Guilherme Brito/Alcides Caminha), “Folhas Secas”(Nelson Cavaquinho/Guilherme Brito) e “Vou Partir”(Nelson Cavaquinho/Jair do Cavaquinho).

Escute a beleza melódica deste magistral compositor de nossa musica.

“Caminhando”(Nelson Cavaquinho/Nourival Bahia) , Nelson Cavaquinho
“A Flor e o Espinho”(Nelson Cavaquinho/Guilherme Brito/Alcides Caminha), cantam Elizeth Cardoso e Nelson do Cavaquinho
“Folhas Secas”(Nelson Cavaquinho/Guilherme Brito), canta Beth Carvalho
“Duas Horas da Manha”(Nelson Cavaquinho/Ary Monteiro), canta Paulinho da Viola
“Beija-Flor”(Nelson Cavaquinho), Jim Hall / Hemispheres (2009)
“Depois da Vida”(Nelson Cavaquinho/Guilherme Brito/Paulo Gesta)

2 comentários:

pituco disse...

linda homenagem...

afinal, não é sempre que alguém compõe 'luz negra' ou 'rugas'...

abrçsons

Paul Brasil (Paul Constantinides) disse...

é verdade pituco.
viva nelson cavaquinho!!!
abs
paul